Friday, November 4

MTV Europe Music Awards Lisbon 2005


Ontem, dia 3 de Novembro, ocorreu em Lisboa uma das entregas mais famosas de prémios a nível europeu, isto é em teoria claro. Como assisti com alguma curiosidade não posso deixar de comentar a minha grande desilusão.
Para começar, o meu primeiro ponto negativo: colocaram como apresentador Borat, o actor que também é conhecido por fazer de Ali G. Todo o conceito de apresentador totó vindo do Cazaquistão até pode ser considerado “engraçado”, mas chegar ao ponto de insultar as pessoas, epá sinceramente eu discordo totalmente, mesmo que achemos que há grupos e bandas que não valem nada e que é só pelo palminho de cara das cantoras que elas conseguem algum sucesso.
Segundo ponto negativo: porquê é que os apresentadores portugueses (sem ser os da MTV Portugal) eram jogadores de futebol??? Ok até podem ser conhecidos pelo mundo fora, mas estamos numa cerimónia de música exclusivamente e não vejo porque não meter a Mariza que é tão conhecida lá fora….ou então dar a conhecer outras pessoas…Haveria tantas alternativas… Eu até percebo que tentem meter actores para promoverem os seus filmes que estão a sair ou que saíram à pouco, mas não acho muito correcto porque trata-se do mundo da música e não do cinema. Ninguém mete a Madonna nos Nobel pois não?
Terceiro ponto negativo: se só se pode falar inglês qual é o contributo português para a cerimónia? Será apenas o facto de eles terem mais uma viagem na agenda…Nem sequer a comida do buffet é portuguesa…acho que só o vinho…
Quarto ponto negativo: As actuações, por favor...tentem afinar um bocadinho…eu já não gosto muito de Robbie Williams e então depois daquela oscilante voz… Qual é a lógica de ganhar Best Male se não consegue cantar em público??
Quinto ponto negativo: É uma cerimónia televisiva com público, pois é, e então porque é que o pessoal no palco estava às vezes de costas para o público? Os premiados podiam ser um pouco mais convincentes no discurso...Desenvolver um pouco mais talvez…tipo Obrigado Obrigado toda a gente sabe dizer….
Sexto ponto negativo – Porque é que não havia uma banda portuguesa a actuar?
Sétimo ponto negativo – Se há uma cerimónia de entrega de prémios porque é que os nomeados não parecem? Acho ridículo que os que recebem o prémio, apareçam num ecrã a agradecerem…para isso os prémios eram logo mandados pelo correio e economizava-se imenso. Quem não aparece não recebe, não acham?

Pontos positivos – terem feito tradução simultânea embora tivesse corrido pessimamente, visto que algumas piadas de Borat escusavam tradução…pensei que ele fosse falar mais…ainda bem que assim não foi… O facto de alguns (apresentadores e premiados) terem-se esforçado por dizer alguma coisa em português …

Bem pró ano não contem comigo…prefiro saber no dia seguinte e só por curiosidade, porque sinceramente isto de MTV EMA é uma chachada de todo o tamanho…e as categorias são muito comerciais….

Ah e já me ia esquecendo de falar do problema de som e dos screamers perto do palco, é que quando um burro fala os outros abaixam as orelhas. (ou melhor calam-se….)

Já agora cá ficam os vencedores:

Melhor Álbum - "American Idiot", Green Day

Melhor Artista Hip-Hop - Snoop Dogg

Melhor Banda - Gorillaz

Melhor Artista R&B - Alicia Keys

Melhor Artista Masculino - Robbie Williams

Prémio Revelação - James Blunt

Melhor Artista Pop - Black Eyed Peas

Melhor Canção - "Speed Of Sound", Coldplay

Melhor Artista Rock - Green Day (na imagem)

Melhor Artista Alternativo - System of a Down

Melhor Artista Feminino - Shakira

Melhor Videoclip - "Believe", Chemical Brothers

Melhor Artista Português - The Gift

2 comments:

Uruk Riot said...

A meu ver, se compararmos este com todos os outros EMA, pelo que vi não se desviava da média. Aliás até teve pontos dois pontos muito positivos: a qualidade de som estava bastante boa, obrigando a todos os artistas a ser cantores profissionais, caso contrário, notava-se logo nas desafinações (que foi o que aconteceu); e o pavilhão atlântico é o único local na Europa em que é possível explorar ao máximo um evento como este. Estou a falar em termos de logística, como a alteração constate dos palcos na presença daquele publico de peso. Por falar em publico não percebi um dos pontos negativos apresentados pela autora, como assim de costas para o público? Estavam em palcos “penínsulas”, rodeados de público por todos os lados excepto um, e nunca estavam virados para esse. Agora ter publico nas costas dos artistas é uma tradição da MTV, oriunda (julgo eu) de um programa que eu pessoalmente detesto, o TRL (Total Request Live), em que a meu ver o facto de o público aparecer nas costas dos artistas é encarado como uma prenda, ou seja uma oportunidade de aquelas crianças possuídas por exaltação desmesurada de aparecerem na MTV.
Bem, continuando com os EMA. Falemos agora do Borat. Nem sempre é fácil de perceber a magia da personagem que se resume ao mesmo princípio activo do Ali G, apesar de o Ali G ser melhor para ambientes de festa do que o Borat (mas de longe!) por isso, ficamos a perder nesse ponto. Adoro ambas as personagens visto que são interpretadas por um homem a meu ver muito inteligente, que graças a duas personagens de muito baixa instrução (diria até mesmo burrice) consegue que os seus entrevistados percam o respeito por elas e acabem por fazer e dizer exactamente o que ele quer. Nunca mais me vou esquecer como o Borat conseguiu pôr um professor da mais conhecida universidade de Londres a insultar as mulheres, enquanto ele se ria e ia pondo lenha na fogueira. E também a utiliza para demonstrar como alguns pontos da sociedade considerados por muitos basilares não passam de ideias vendidas, ou seja, por vezes não muito bem reflectidas. Por exemplo, a famosa pergunta que se pode colocar a todos os defensores dos animais: é contra o teste de cosméticos nos animais? (resposta óbvia) E é contra o teste de cosméticos em animais, se esses cosméticos forem para a utilização nos próprios animais?
Outro ponto a meu ver muito positivo é que ninguém tem mão nas personagens, eles fazem o que querem, e isso notou-se bem neste EMA. O Borat estava inspirado, e talvez isso esteja de acordo com a opinião da autora: “chachada de todo o tamanho”, pois o seu comportamento pode ser encarado como uma crítica aos EMA. Já que aquilo é uma chachada e ainda por cima tiveram a coragem de o convidar à que destruir tudo! E ainda bem que o fez! Aquilo é mesmo só fogo de vista.
Em relação à tradução simultânea, deixo aqui o meu cumprimento pessoal à(s) pessoa(s) envolvidas no projecto, pois não lhe(s) faltou coragem! Mas apesar de tanto suor, não saiu nada de jeito, e muitas das vezes mais valia estarem quietos. Mas fica sempre a intenção.
Bem numa visão global, não passou de mais um EMA com pano para mangas para as minhoquices que a MTV gosta tanto de explorar durante uma série de programas (EMA uncensored), ou seja nada de mais. Então porquê tanto espalhafato? Fica a pergunta no ar…

Tzipporah said...

é óbvio que não concordo contigo...e tenho dito