Thursday, July 28

Harry Potter......


“Harry Potter and the half blood prince” é o novo livro da colectânea Harry potter. Duvido que seja novidade para quem quer que seja mas cá fica a notícia...
Como fã incondicional, comprei a minha cópia no sábado de manhã (não à meia noite porque tb não sou tolinho). Estava ansioso para voltar a saborear o dia a dia de três agora jovens, estava ansioso por atar as pontas soltas e para descobrir um role de novidades que geralmente abundam.
Comprei a edição de adulto (se bem que eu continue a achar que este livro não é dirigido para crianças) e para minha desilusão reparei que SÓ tinha 600 páginas! Nada comparado com o livro anterior que atingiu as 800!!
Obviamente não vou contar nada sobre o livro, mas tirei algumas conclusões que não são esclarecedoras do conteúdo do livro! (mesmo assim quem n leu é melhor parar por aqui!!!)
Em termos de história percebi que houve uma menos descrição das aulas ou seja sobre tudo o que se passa em muitas aulas. Por exemplo nem uma vez foi descrita uma aula de transfiguração, e as aulas de DADA (quem leu o livro sabe o que é) sem nada de especial; aqui desiludiu-me um bocado porque eu gostava destas fases do livro.
As personagens mantém-se como sempre foram mas finalmente espevitadas pela idade, que já veio tarde! Nesta área desiludiu-me a prática inexistência da Cho Chang, pensei que pudesse ainda dar que falar, mas não...e gostei muito da Ginny que de todos me parece a personagem mais equilibrada!
Apreciei o desenvolvimento da relação paternal do Dumbledore pelo Harry mas sobre o Dumbledore falo no final.
Sobre o enredo: acho que é dos mais pobres em relação aos quatro últimos livros já que para mim os dois primeiros são totalmente dispensáveis. Sem grandes novidades, com uma trama bastante simples que consiste na busca do exacto passado do Lord Voldemort! Não se pode dizer que ele n aparece mas acaba por ser uma pequenina desilusão! O Malfoy aparece completamente transfigurado e o enredo da história tem como pilar a acção do filho de Lucius, o que torna a história pobre!
Aparece uma personagem totalmente esquisita que é o Horacius Slughorn, pensei que dali poderia surgir algo de interessante mas nada de especial! Ao conhecimento do passado do Harry nada é acrescentado! Geralmente em cada livro um pequeno segredo é descoberto mas neste...
Em suma a magia continua a fluir com abundância e o apetite para devorá-lo não é inferior aos anteriores por isso aconselho a leitura a todos aqueles que ainda não descobriram Hogwarts!
Por fim Albus Dumbledore....(quem n leu pare mesmo agora...)
Eu ainda não acredito que ela matou a minha personagem preferida...ainda pensei que fosse tudo um truque mas não...ele morreu! Fiquei mesmo triste porque sempre pensei que a Rowling o matasse mas nunca tão cedo! Esperei até à última página!
Concordo com a nakamura quando ela diz que o Snape só o mata porque o Dumbledore lhe pede mas mesmo assim para mim era evitável...Li à pouco uma entrevista da autora que dizia que o Dumbledore não era nenhum Jesus Cristo mas ela criou uma personagem que nos abraça e nos acarinha a todo o momento, um avô com toda a sua força e sabedoria....e ela matou-o! Fico por aqui....espero comentários!

P.S. quem será o misterioso homem que roubou a horcruxe, será o Regulus o irmão de Sirius?

Saturday, July 23

"If" de Rudyard Kipling (1865 - 1936)


If you can keep your head when all about you
Are losing theirs and blaming it on you,
If you can trust yourself when all men doubt you,
But make allowance for their doubting too;
If you can wait and not be tired by waiting,
Or being lied about, don't deal in lies,
Or being hated, don't give way to hating,
And yet don't look too good, nor talk too wise:
If you can dream - and not make dreams your master;
If you can think - and not make thoughts your aim;
If you can meet with Triumph and Disaster
And treat those two impostors just the same;
If you can bear to hear the truth you've spoken
Twisted by knaves to make a trap for fools,
Or watch the things you gave your life to broken,
And stoop and build 'em up with wornout tools:
If you can make one heap of all your winnings
And risk it on one turn of pitch-and-toss,
And lose, and start again at your beginnings
And never breathe a word about your loss;
If you can force your heart and nerve and sinew
To serve your turn long after they are gone,
And so hold on when there is nothing in you
Except the Will which says to them: 'Hold on!'
If you can talk with crowds and keep your virtue,
Or walk with kings - nor lose the common touch,
If neither foes nor loving friends can hurt you,
If all men count with you, but none too much;
If you can fill the unforgiving minute
With sixty seconds' worth of distance run -
Yours is the Earth and everything that's in it,
And - which is more - you'll be a Man my son!



(simplesmente lindo...é um poema que conheço há já muito tempo...um muito obrigada à pessoa que mo mostrou)
Para quem gostar de poesia http://www.poetryloverspage.com/
para saber algo sobre o autor:http://www.online-literature.com/kipling/

Wednesday, July 20

“Batman Begins” de Christopher Nolan

No meio de tanto filme que transporta para o cinema personagens enigmáticas da BD tal como o Homem Aranha, os 4 fantásticos, X-Men ... eis que aparece novamente Batman, o homem que utiliza um disfarce de morcego para combater o mal que se alastra pela cidade de Gotham. Depois de tantos filmes realizados, com actores bem diferentes a interpretarem o protagonista, fica a pergunta...o porquê de mais um filme...por muito que o realizador explique a falta dum filme que explicasse bem as origens do Batman, só vendo-o é que o espectador se apercebe de que nunca tinha visto esta nova faceta do Batman, mais negra, mais humana e mais lógica também... Confesso que nunca fui grande apreciadora do Batman, apesar de ter uma caderneta de cromos. Um homem vestido de morcego, ya, para qualquer criança o fantástico é sempre admirável, mas sempre achei o Batman esquisito, vendo bem acho que nunca o compreendi...até que vi o filme hoje. (Credo, parece que estou a falar de uma pessoa real) O filme em si até é bom, demonstra claramente a atmosfera da cidade e os seus problemas, a necessidade de um herói parece portanto óbvia. É provável que o filme fuja à trama original da BD, não tenho noção porque nunca li, mas o filme não é sobre as aventuras do Batman, mas sobre o seu interior, as lutas e perseguições é só espectáculo, fogo de vista... O que me parece mal é tanta destruição... reconheço a sua importância no filme, estamos perante numa cidade caótica que o herói pretende salvar a todo o custo...e apesar da habitual personagem feminina, este não o pretende fazer por sua causa e por isso o final merece um sim sra. Mas, vamos lá reconhecer a incongruência que é, não só nestes filme, mas em muitos outros que defendem a integridade dos civis e num take qualquer só têm destruição, como por exemplo carros de polícia a voarem...enfim...
O pior ao ver este filme é pensar em Gotham...pois na realidade cidades como essa existem pelo mundo, é só pensar nos gangs, na máfia da droga e por aí fora...só que é claro não existem heróis como Batman, mas a forma de fazer justiça pode ser de várias formas, basta querer!
Em termos de actores temos vários conhecidos, Christian Bale (“Batman2) é sempre carismático e não desilude, mas não me parece que seja o seu filme “ideal”, mas é talvez o Batman que mais gostei. Liam Neeson sempre fabuloso seja a fazer de bom ou mau, é sempre um actor sublime, depois é claro os veteranos Michael Caine e Morgan Freeman que só o nome já diz tudo...nunca desiludem e dão o seu quê ao filme. Da suposta “namorada”, achei-a um pouco Katie Holmes...o que quero dizer é que em todos os filme em que a vi a sensação é sempre a mesma, como se o trabalho de uma actor não fosse a transformação, não digo que tenha sido péssima...mas acho que lhe falta muito trabalho...se calhar é implicação da minha pessoa...Só queria também referir que o sr. Earle (Rutger Hauer) entrou na série Smallville, quem o vê certamente se lembra, e também a presença de Gary Oldman (“Gordon”) o saudoso “Sirius Black” da saga Harry Potter.

A frase do filme “Deep down you may still be that same great kid you used to be. But it's not who you are underneath, it's what you do that defines you. (Rachel Dawes)”

Christian Bale - Bruce Wayne/Batman
Michael Caine - Alfred
Liam Neeson - Ducard
Katie Holmes - Rachel Dawes
Gary Oldman - Jim Gordon
Cillian Murphy - Dr. Jonathan Crane
Tom Wilkinson - Carmine Falcone
Rutger Hauer - Earle
Ken Watanabe - Ra's Al Ghul
Mark Boone Junior - Flass
Linus Roache -Thomas Wayne
Morgan Freeman - Lucius Fox
Larry Holden - Finch
Gerard Murphy - Judge Faden
Colin McFarlane - Loeb

Saturday, July 16

"Harry Potter and the Half Blood Prince" de J.K.Rowling

Confesso-me uma veterana leitora da saga Harry Potter, porquê? Bem, talvez pelo misticismo e pela inocência...como não é possível escapar à notícia, saíu finalmente o 6º livro. Já o comprei... :)só falta lê-lo, mas vai estar em stand-by, por isso já estou à espera de ver o sr. cit aqui a escrever sobre ele..por isso aqui espero!!!

Thursday, July 14

“Diarios de motocicleta” (2004) de Walter Salles


Uma viagem pode mudar inteiramente o sentido de uma vida!
“Diários de Che Guevara”, em português, é mais do que um filme em que a personagem principal é o mítico Che. Inicialmente trata-se apenas de uma viagem, o partir para a descoberta da América do Sul, a qual pertencem dois jovens, como tantos outros jovens argentinos que viviam na década de 50. Esta vulgaridade pretende demonstrar a juventude tal como ela era e ainda é, os prazeres, a audácia e expectativas característicos da idade. Os dois jovens, Ernesto Guevara De la Serna (Gael García Bernal) quase licenciado médico e Alberto Granado ( Rodrigo De la Serna) bioquímico, partem então numa motocicleta, a que lhe chamam “a poderosa”, com o único propósito de viajarem sem grandes porquês. Como tudo, nada é tão simples como à primeira vista nos parece, o filme até pode ser transposto para a Europa como um simples inter-rail...mas a América latina da altura e mesmo agora tem muito mais do que aparenta à superfície e as suas estonteantes paisagens, desde Caracas ao estreito de Magalhães, encobrem uma realidade não tão bela. Estes dois amigos encontram mais do que situações caricatas, pessoas e paisagens diferentes, encontram a pobreza e a injustiça por onde passam. É este contacto entre pessoas que lhes traz a humanidade para fora e os transforma, pois os jovens que começaram a viagem não são os mesmos que a acabaram. Vendo a realidade, o mundo em que vivemos parece-nos tão diferente, como qualquer jovem há sempre vontade de mudar, de o tornar melhor, de seguir os nossos ideais...e assim fez Ernesto.
O mais incrível mesmo neste filme é visualizar a transformação, ver que cada passo na viagem foi importante. Lá fora há muito mais do que imaginamos, tanto para o bem como para o mal, tomarmos consciência disso só nos fará crescer como seres humanos... mas no final poucos são os que efectivamente fazem alguma coisa...
Continuo sem perceber porque é que certos filmes, como este, sem imagens chocantes, continuam a passar despercebidos pelo público...enfimNão sabia era que a Mia Maestro fazia parte do elenco...grande surpresa, se calhar foi daqui que deu o salto para Hollywood onde a podemos ver na série Alias, presentemente a decorrer, no papel de Nadia Santos. Gael García Bernal já tinha interpretado o papel de Che numa mini-série intitulada “Fidel” em 2002.

Wednesday, July 13

“O Velho e o Mar”(1952) de Ernest Hemingway

Este é um dos livros mais conhecido de Hemingway, no entanto só recentemente o li. A expectativa era demasiado grande e o livro acabou por não me impressionar, fiquei com a impressão de que algo faltava. E que péssima tradução!! O livro é metafórico porque de certo modo podemos transpor a história do velho pescador Santiago para a nossa vida corrente, na qual necessitamos da mesma persistência do que ele, assim como as desventuras que encontramos e a força que podemos alcançar. A interpretação, é claro, fica ao critério do leitor. O mais provável é não ter conseguido atingir a sensibilidade da obra, porque a leitura que fazemos de um livro advém muito do estado em que nos encontramos, da nossa faixa etária e obviamente da forma de ser de cada pessoa.
Gostaria apenas de deixar algumas frases do livro que mais gostei:
“ (...) Não devo deixá-lo nunca tomar conhecimento da sua própria força, nem do que poderia fazer se corresse. (...) Mas, graças a Deus, não são tão inteligentes como nós, que os matamos, embora sejam mais nobres e mais capazes” (em relação aos peixes) [ a primeira frase faz-me lembrar o salazarismo...metade da segunda faz-me lembrar o Bush...tudo me transpira a política...daqui a pouco ando com a mania da conspiração]

“ O Homem não vale muito ao pé dos grandes pássaros e animais. Mais me valia ser esse bicho na treva do mar” ( bicho - o peixe)

“Além de que, pensou, tudo mata, de uma maneira ou de outra. Pescar mata-me, exactamente como me mantém vivo (...)”

Não esquecer que a história passa-se em Cuba e é de realçar os problemas políticos adjacentes, por isso não é de estranhar o 2º sentido que a obra tem pois a sua simplicidade torna isso mais veemente.

Monday, July 11

"A Vitória de Samotrácia"

Actualmente no Museu do Louvre, esta peça de arte representa a forma de uma mulher alada, colocada na proa de uma galera, comemorando uma vitória naval. Foi encontrada em 1863 numa colina donde dominava um santuário. Dela emanam sem dúvida a majestosidade e a força que impele contra o vento... Esta é uma das minha favoritas...talvez por estar sem cabeça e poder representar qualquer mulher em forma heróica... (a foto está um pouco tosca, mas acreditem ela é simplesmente linda...)
Segundo o site wikipedia:
A Vitória de Samotrácia é uma escultura que representa a deusa Atena Niké (Atena que traz a vitória), cujos pedaços foram descobertos em 1863 na ilha de Samotrácia, no Mar Egeu. Em grego, o seu nome é Niki tis Samothrakis (Νίκη της Σαμοθράκης).

Sunday, July 10

Ai os Anúncios...

Numa altura em que tive algum tempo para ver televisão reparei que há publicidade muito ridícula, chegando algumas ao ponto de insultar a inteligência do espectador. Aqui podem ter a oportunidade de revelar o que de bom ou mau se vê de anúncios televisivos. Para começar vou particularizar:
Exemplo 1 – Champô Fructis sem caspa, posso ser de mim mas sempre que vejo o dito cujo a impressão que tenho é que a caspa é tipo piolho..e portanto o fructis como uma espécie de insecticida. Eu sei que parece ridículo, mas já viram que a caspa saí do cabelo do rapaz...e voa ...para não falar do horror que a rapariga tem ao ver aquelas partículas brancas a dispersar...convenhamos...é só caspa...
Exemplo 2 – Frontline (ou coisa parecida)...Temos uma Lara Croft contra pulgas e carraças...bem mas Croft que se preze tem de destruir tudo...e lá vai ela arrancando tudo da casa....conclusão...se calhar a destruição da casa não é eficaz contra os bicharocos...hum eureka se calhar mais vale desinfectar os pobres cachorros...
Exemplo 3 – Não consigo parar de me irritar com a política do “Só?” do Feira Nova...por favor estamos em crise...tudo está extremamente caro...5€ não dá para nada...com o euro passamos a ter menos dinheiro na carteira...depois apareceu o 19% Iva agora o 21%...convenhamos...não vale de nada iludirmos..temos é de poupar um pouco agora...
Exemplo 4 – Já repararam nos imensos anúncios de água com gás..desde Freeze, Vidago..etc...ok o gajo da Freeze até teve piada...mas o faz sabor....
Exemplo 5 – um giro é aquele do uzo...a música do final tão robotizada faz lembrar que de facto o nosso mundo está demasiado cheio de máquinas...

Saturday, July 9

Antes de amanhecer e antes do anoitecer






Não vou dizer que são os filmes da minha vida mas posso dizer que estão na lista das preferidas!
Protagonizados por Julie Delpy e Ethan Hawk e ambos realizados por Robert Linklater. São filmes que contam apenas com duas personagens!
Antes do Amanhecer apresenta a história de dois jovens de vinte e poucos anos e as suas escolhas. Encontram-se num comboio entre cidades europeias , sentem-se atraídos um pelo outro e resolvem explorar a cidade de Viena juntos. Eu visitei Viena no final do ano passado e posso garantir que é uma cidade de sonho, uma cidade que transborda cultura misturada com um progresso vertiginoso! Viena guarda em cada recanto o fascínio dos austríacos pela arte, pela arquitectura, e principalmente pelo passado!
É neste ambiente que a história se desenvolve. Quem for ver este filme não pode esperar uma discrição ou um passeio por Viena, não! São percorridos itinerários secundários mas que não fogem à regra. É um filme que temporalmente se desenrola em +ou- 12h nas quais podemos assistir um casal num entrozamento intelectual bastante profundo, em que o fervilhar das ideias é constante e em que são discutidos temas que não se podem menosprezar! Deparamo-nos com o choque de dois universos diferentes: primeiro temos um americano confuso e por outro lado uma francesa decidida, pode-se falar de um choque de ideias e de civilização. O romance está presente mas não assume papel principal, o fim é abrupto e deixa tudo em aberto, como se fossemos nós próprios ter que terminar esta história...Intrigante porém sedutor é a melhor definição para este filme!

A parte seguinte é só para quem já viu o primeiro filme...



São pessoas maduras (se assim se podem defenir) na casa dos trinta anos que se encontram em Paris. Paris não posso defenir infelizmente, mas um dia poderei! Ele está a apresentar o seu livro e ela vai ao seu encontro numa livraria! Se o outro filme é invulgar este é mais ainda! O mais notável neste segundo filme é a transformação de ideais das personagens...é uma mudança brutal defenida por sonhos conquistados e perdidos e ideias transformadas! A animosidade está presente e denota-se uma certa precaução e hostilidade de ambas as partes! De novo percorrem caminhos pela capital francesa e discutem o passado, presente e talvez o futuro... Acaba de uma maneira que para mim é incrivel porém inaceitável... É um filme mais carregado emocionalmente mas sem aqueles exageros de romance assolapado com final feliz!

Thursday, July 7

Assim acabou a 1ª época de "Lost"




Cá se fica à espera da segunda....só espero que não enrole de tal forma que se torne maçador ver...