Saturday, January 28

Pride & Prejudice (2005) de Joe Wright


Jane Austen (1775-1817) é uma das melhores escritoras da sua época. É certo que a sua obra não é muito vasta, mas a forma com que perspicazmente atacou a sociedade e as pessoas de então atrai o leitor para uma realidade dura. Por muito que os livros de Austen sejam apelidados de romance e efectivamente se centrem muito em noivados e casamentos de jovens inglesas de diferentes escalões sociais, o romance é apenas o mote para tudo o resto, aliás nenhum dos livros tem um romance fervoroso ao estilo de muitos dos nossos autores mais recentes. Todos os seus livros são bastante pequenos, mas a sua essência não é definitivamente medida pelo número de páginas, de facto as falas, as personagens, os cenários, todo o mundo criado por Jane Austen reflecte perfeitamente o problema feminino, em que o amor tem uma dimensão bastante diferente da que agora conhecemos. É incrível todas as boas maneiras, etiqueta e expressão oral da época, simplesmente adorável. No entanto é também irritante, porque ficam tantas coisas por dizer e por fazer…não que agora isso não aconteça…Bem sou fã desta autora, já li todos os seus livros e sem dúvida “Pride & Prejudice” é o meu favorito, embora “Northanger Abbey” me seja especial. Existem várias adaptações de todos os seus livros, muitos adaptados na TV pela BBC, é o caso de “Pride & Prejudice” excelente série com Colin Firth e Jennifer Ehle.
Por cá estreou o novo filme de Joe Wright “Pride & Prejudice” com Keira Knightley, Matthew Macfadyen e Judi Dench e suponho que muitos fãs da série e dos livros tenham ficado um pouco reticentes, porque seria difícil superar a série e colocar em 2 horas de filme o livro. Bem, por acaso não fiquei com esse preconceito, primeiro porque detesto comparar livros a filmes, são universos distintos e o que resulta bem num livro pode ficar péssimo no filme, de qualquer forma é impossível comparar uma série a um filme, não só pela necessidade de condensar a história, assim como o reduzido tempo dos actores para a interpretação, que seguramente numa série é extensivamente mais elaborada. A realidade é que o filme é bastante bom, tem paisagens fantásticas, transmite um contraste maior da sociedade, na medida em que se nota mais a diferença social, ora nos comportamentos, cenários, roupas, etc. Os actores principais Keira e Mathew portaram-se à altura, não o conhecia de outros filmes e fiquei maravilhada, talvez por isso ache que a representação dele tenha sido melhor que a dela, mas mesmo assim ela representou bastante bem o papel para a sua pouca idade. A série da BBC é a série ponto final. Acreditem, este filme não fica nada atrás, pelo contrário…recomendo vivamente! Só não se esqueçam que se trata de uma adaptação de um livro…não é o livro…
Ah…já me ia esquecendo Judi Dench soberba como sempre!!!

3 comments:

Uruk Riot said...

Pois é... Eu fiquei preconceituoso. O mais certo é não ir ver o filme ao cinema, mas se este der na televisão numa hora conveniente também não o vou deixar de ver. Já vi que escolheram uma boa actriz para o difícil papel da Mrs. Bannett!

Tzipporah said...

Não, não e não! Judi Dench é no papel de Lady Catherine de Bourgh claro. Devia ter referido, desc!!

Uruk Riot said...

No problem! Também ninguém me mandou especular…