Wednesday, May 25

"Star Wars: Episode III - Revenge of the Sith" (2005)

O realizador George Lucas consegui finalmente finalizar a saga de “A Guerra das Estrelas”, que é sem dúvida a obra da sua vida. A nossa infância foi influenciada pelos episódios IV,V e VI, tendo como figura mais marcante o famoso Darth Vader tão temível e cruel. Crescemos com a imagem do Homem sem rosto e com um passado algo desconhecido. Na década de 90 do século passado os menos conhecedores da saga, tiveram direito a um início cinematográfico, com actores muito conhecidos do público (Ewan McGregor, Liam Neeson, Samuel L. Jackson) e outros que se tornaram (Natalie Portman). Todos os inícios contam obviamente uma história, esta começa no I com a descoberta de Anakin Skywalker e com as esperanças nele depositadas. Este cresce e no II vive uma história de amor que o leva à perdição. Paralelamente existem as guerras políticas e de poder, juntamente com a rotura da República que se vem a confirmar no III. Este episódio (o III) é o culminar dos primeiros dois e o passo mais importante para os seguintes, é a explicação que faltava, é onde a balança pesa e caí para um lado menos favorável.
Já é do conhecimento público que Anakin, o rapazinho que “era o futuro” acaba por se tornar no maléfico Darth Vader, para desespero do Bem. Em “A vingança dos Sith” vemos a transformação do Homem confuso, inseguro e idealista em algo marcado pelo ódio, vingança e sofrimento.
Os primeiros episódios (mais o II) foca a natureza rebelde, insegura e sobretudo apaixonada, mas marcada pelo sofrimento e perda. Quando era pequeno o jovem Anakin confrontou-se com a escravidão, depois com o assassínio selvagem da mãe, tornando-se um idealista. Toda a revolta interior era reprimida pelos valores Jedi, no entanto pretende agir o mais correcto possível dentro desses ideais. Talvez por isso se tenha apaixonado por Padmé Amidala, pois esta é decidida, lutadora e também idealista. Será porventura a personalidade dela que o equilibra nos momentos de insegurança e de medo. Ele é sobretudo uma pessoa inocente, poderei dizer até pura, que de tão pura é facilmente influenciada e corruptível. É fácil ser se enganado e desviado para o mal quando não se desconfia, e se crê em algo grandioso. A questão é que por muito idealista que podemos ser, há que ter os pés bem assentes, porque nada é rígido e estanque, as coisas são flexíveis e evoluem. Podemos constatar isso sabendo que muitos dos grandes ditadores começaram por ser exactamente pessoas com ideais muito marcados. Além de todo o conflito interior que a personagem sofre tentando resistir às tentações do mal, ele vive o medo da perda, o sentimento de desconfiança de todos e a desilusão do Mestre e “irmão”. Há de facto uma grande densidade psicológica no filme, muitos laços se perdem gerando muito sofrimento. A esperança no Bem fica abalada e o caos final é total. É amor e tragédia!
O filme vale bastante a pena, principalmente porque fiquei um pouco desiludida com o II, neste o público vibra com a história apesar de a já saber. Hayden Christensen (Anakin Skywalker) têm uma performance bastante melhor e o resto do elenco também é muito bom. O filme, a meu ver, tem uma falha enorme, ele é de certo modo gradual quanto à forma como o Anakin penetra no lado negro, mas a cena em que ele transpõe a linha é algo brusca. Percebem-se os seus motivos, embora em termos psicológicos são complicados, mas a cena em si desacredita um pouco a história. É do género, descobre quem é o “mau”, denuncia-o, pensa na amada e por ela mata tudo, incluindo crianças....parece-me exagerado, mas tendo em conta que os poderes do lado negro são enormes, a coisa até pode escapar, mas fica-me um pouco entalada. Mas verdadeiramente entalada parece-me a qualidade e ignorância dos tradutores que grande parte do filme legendavam “Artoo” quando designavam o robô R2, lá pró fim já aparecia, se calhar porque também aparece o C-3PO e a ficha tenha caído.
Ver o filme vale mesmo a pena mesmo que seja só para ver o querido Mestre Yoda.
Obrigada George Lucas por este legado e obrigada John Wiliams pela música que ninguém irá esquecer e que seguramente nos marca a todos (mesmo que não queiram).
Que a força esteja convosco!!
(A minha frase favorita: "Senator Amidala: This is how Liberty dies - with thunderous applause. ")

7 comments:

nakamura_michiyo said...

foi mesmo um grande filme que não desiludiu, e sem dúvida o melhor das prequelas :)

Boreas said...

E finalmente acabou...engraçado não teres comentado como gostaste dessa frase que está inserida numa das cenas mais interessantes do filme. Perdoem-me o spoiler mas creio que a comparação merece comentário....

Um senado cheio de politicos vindos de todo o universo assistem ao discurso de alguem que se proclama imperador, abole os principios de uma democracia, que obtem poderes absolutos durante os ultimos anos, e finalmente aparece completamente transfigurado....e como recebem a noticia da "traição" dos jedis que eram o garante da paz? Com aplausos enebriados pelo fim da guerra.
Não vos parece isto muito semelhante ás actitudes que se vem nos comissios politicos actuais,principalmente nos usa, ONDE SE DECLARAM GUERRAS AO SOM DE APLAUSOS?
Brilhante o modo de caracterizar esse estado da população...ao qual nem consigo atribuir um nome...

Quanto a tudo o resto, adorei o filme na sua segunda metade, quando as batalhas e efeitos especiais mirabolantes que somente agradam à vista deram lugar a puras batalhas de influencias, angustia mental, desvairar das emoções a tensão, a traição que fica demarcada na cena que eu penso que é a mais emotiva de todos os filmes, a morte dos jedis.

Definitivamente um dos melhores filmes de entre os 6, recomendo a todos.

Uruk Riot said...

Isto é rigorosamente verdade, cresci como tendo como grande personagem de respeito e admiração o Darth Vader. E neste filme fiquei feliz por ele seguir as minhas expectativas, e até superá-las. Pois sempre em todos os 3s filmes antigos (IV, V e VI), se mostra como uma personagem implacavelmente má aos olhos dos outros personagens. E aqui demonstrou que a reputação era merecida. Adorei como se deixo mergulhar num estado de êxtase assassino, em que soltava todo o seu poder superior sobre todas as criaturas que lhe apareciam à frente, que nada mais podiam fazer senão implorar por algo que não aconteceria. Tinha o poder de matar e não parava de usa-lo, ninguém o podia parar, porque não? (Mas o homem cegou completamente!)
Bem pondo isso de lado e vendo melhor a globalidade do filme, e eu tenho sempre em conta os verdadeiros (IV, V, VI) que nos habituaram a um equilíbrio saudável entre combates de massas e combates de sabres de luz (principalmente nos V e IV), mas nesse filme isso não se verifica, pois se formos a ver, os combates de conjunto, de massa, a guerra em si, passa sempre muito célere, parece que só nos dão um cheirinho. Sempre me habituei a seguir personagens desconhecidas durante os combates, a sua organização, os seus receios, a sua coragem, as suas frases típicas (tipo: "Red lider satnding by.","Copy Red Lider" e por aí fora, mas neste filme, nada! Ou quase nada) que eram tão importantes para a noção de todo e para nos permitirem identificar com algumas delas e nos embebermos mais no filme. E claro, que combates de sabres de luz era o que não faltava (que para mim, foi um exagero, mas pronto).
Deixo a minha frase favorita de todos os filmes, podia deixar a minha favorita deste filme, que foi dita pelo imperador, mas infelizmente esqueci me, por isso deixo a minha derradeira.
É do filme IV.
Darth Vader: "Your lack of faith disturbs me"

Tzipporah said...

Não a comentei porque foi do tipo anexo, só a encontrei quando estava a publicar o post e então não referi mais nada, coisa que tu já a fizeste e muito bem!
Essa: "Darth Vader: "Your lack of faith disturbs me"" também está um espectáculo, são daquelas frases que não se esquece!

Alberto Gonçalves said...

Eu vi o filme, e em seguida os episódios IV, V e VI e tudo ganhou um novo sentido e significado!Pequenas nuances e frases soltas que George Lucas deixou nesses episódios, conquistaram um novo sentido com a ligação das duas triologias! Espero não estar enganado, mas já ouvi comentários, vindos de fãs do Star Wars, que George Lucas esteja a preparar mais três episódios, o VII, oVIII e O IX! Provavelmente, não passarão de boatos!Ou não!

Boreas said...

Correndo o risco de transformar isto num forum de star wars....

Foram novelizadas na decada de 90 sob forma de bd, 2 partes da continuação da história "Dark Empire". Nessa historia até agora "alternativa" Luke Skywalker aposascendcer ao titulo de mestre jedi encontra uma mulher, tem um filho, e inumeras batalhas contra senhores da guerra que se aproveitavam das fraquezas do império. Todavia chega o dia da calamidade. O ex- imperador Palpatine volta uma vez graças à magia Sith que lhe permitia mudar a alma para vários clones do seu corpo.Forçado a confrontar um adversário imortal Luke não tem outra opção senão render-se ao lado negro da força.O dominio foi grande mas não suficiente para corromper o héroi.Apesar de servir o de novo jovem Darth Sidious ele planeava inumeros modos de sabotar o imperador. É finalmente com ajuda da sua irma Leia que conseguem derrotar o imperador. Anos mais tarde quando uma nova ordem de jedis foi estabelecida Sidious tentou uma vez mais possuir o corpo do filho de leia Anakin Solo, mas um jedi interpos-se e o imperador desapareceu finalmente.

Tzipporah said...

Ah boa...bem...não sei se já não é muito fantasioso ...bem, eu acho que já ficávamos por aqui..mas só o Sr Lucas é que sabe...