Sunday, June 3

Nerja...

Nerja-Balcão da Europa
Gosto de olhar para o mar, vê-lo revolto, vê-lo calmo, como se de uma pessoa se tratasse...com emoções...cheio de vida...
Trato-o como um amigo, pedindo conselhos...pedindo uma luz... e vê-lo simplesmente dá-me um pouco mais de vida...dá-me paz..dá-me esperança...dá-me certeza...




6 comments:

Luis said...

Confesso que não sou o maior adepto do mar, longe disso. A última foto no entantotocou-me ja que retrata um aspecto encantador... a transparência.

E é sem dúvida nesse pequeno mar, que nos permite contemplar sem pudor ou medo tudo o que nele se esconde, dos seus perigos aos seus mais belos encantos, cujo toque ameno convida para mergulharmos no seu interior e a fundirmo-nos com ele, que eu fico a pensar... serei um dia capaz de nele mergulhar?

Sem dúvida um lindíssimo mar...

Alberto Gonçalves said...

A ligação que temos com o mar é inegável, atrevo-me a dizer que está inscrita nos nossos genes! Pena que a certa altura nos deixemos ofuscar pela nossa limitante sensação de pequenez, impedindo-nos de nos entregar mais á descoberta! Não de novos mundos, mas sim de nós mesmos e da nossa identidade com o mundo... quando antes o mar foi uma ponte para com os outros, hoje é uma fronteira para nós...
Mas o mar será sempre o nosso confidente e muita da nossa inspiração!

Vítor Silva said...

Vejo que o mar continua para ti a desempenhar um papel de amigo e confidente. Aliás, todos nós, de certo modo desenvolvemos com o mar uma relação de empatia, respeito ou até mesmo medo, nalguns casos. E como testemunho deste mágico fascínio que o mar possui, deixo-vos uma citação de uma grande amiga minha:

“Levanto-me e ando… aos meus pés sinto uma superfície rugosa, a qual conheço perfeitamente, estou numa praia, a praia que tantas memórias me evoca, a mesma praia que me viu crescer. Uma brisa suave passa por mim e sei com certeza que é de manhã, sinto a energia do vento, ouço ao longe o mar, ele está pouco agitado hoje, mas não o vejo com nitidez e por isso aproximo-me do que me parece ser o azul. O sol aquece-me a alma e o cheiro a maresia me atraí, aproximo-me daquele azul forte, que é tão belo.”

Espero que traga boas recordações e que em breve se dê um reencontro com esta praia de que aqui se fala. Quem sabe, o que é hoje um testemunho da praia de Nerja, será um dia mais tarde uma citação e uma bela recordação.

Tzipporah said...

Bem...que poéticos estão os meninos..muito bem...me encanta muito lol:)
vitor confesso que ao ler o que outrora escrevi senti todas as palavras...foi estranho...mas bom...engraçado te teres lembrado :)

Dark Angel said...

Gostei da maneira como escreve... Sentindo o que muita gente não sente...

Loira said...

O Mar...
Tanta calma e tanta revolta...
Tanta paz e tanta guerra...
Tanta beleza e tanto horror...
O verdadeiro espelho da Humanidade!